O Programa Jovem Aprendiz, amparado pela Lei 10.097, de 19 de dezembro de 2000, faz parte das ações de políticas públicas de inclusão social, via qualificação profissional.

A partir  de 2012, este programa foi implantado na Associação Paulista   para o   Desenvolvimento da Medicina - SPDM/Saúde Indígena, porém, a oportunidade de colocação dos jovens no mercado de trabalho, não alcançava indígenas de contexto urbano e suas proximidades. 

Pensando nisso,  os funcionários indígenas Awaé Trumai, Bruno Tserebutuwe Tserenhimi'rãmi e Jibran Yopopem Patté elaboraram uma proposta para inserção deste grupo de jovens, a qual foi acolhida pelo Diretor da SPDM/Saúde Indígena, Dr. Marcos Schaper dos Santos Junior, tornando o projeto específico para contratação de jovens indígenas. Surge, então, o  Projeto Jovem Aprendiz Indígena – PJAI.

No ano de 2015, o PJAI foi executado com a contratação dos primeiros jovens indígenas, para atuarem no escritório  da  Saúde  Indígena  de  São  Paulo,  sendo:  01 Xavante,  01  Guarani, 01 Pankararé e 01 Waçu Cocal.

Em 2017, houve um crescimento no número de contratados, somando 32 jovens em São Paulo e 04 no Mato Grosso. Esse aumento se deu pela ampla divulgação do projeto, a qual alcançou as lideranças, comunidades, associações e diversos grupos indígenas de contexto urbano.

 

 


Com a quantidade de jovens inseridos no projeto, os aprendizes começaram a sentir a necessidade de expor e manifestar suas práticas culturais dentro da empresa, expressando e compartilhando seus costumes tradicionais, para promover a interação dos colaboradores e despertar em todos o conhecimento e entendimento da diversidade.

Como ponto de partida, no ano de 2017, foi realizado o I Evento “Jovem Aprendiz Indígena no Contexto Urbano”  e,  em  2018,  o  II  Evento  “Jovem  Aprendiz  Indígena  no  Contexto Urbano – Vivendo a Cultura”.

 


O projeto também desenvolve oficinas temáticas de revigoramento do jovem indígena na cidade, políticas públicas, trabalho, cursos superiores, comunidade indígena, produzindo rodas de conversas, debates, construção de atividades, com a finalidade de realizar o levantamento  do Perfil de cada jovem, para orientá-los de forma mais pessoal e abrangente.

 

Está sendo construído o Portal Ead – PJAI, com objetivo de informar, instruir e capacitar os jovens aprendizes indígenas. O conteúdo,  produzido  por  uma  equipe  de  indígenas  apoiada por   educadores do Setor  de  Aproximação  e  Acompanhamento  -  SAA  e  da  Educação  Permanente, é pensado e elaborado respeitando a especificidade cultural e social.

 

 

 

A partir do  ano  de  2019,  o  projeto  começa  a  ganhar  visibilidade  dentro  dos  escritórios locais da SPDM/Saúde Indígena, nas cidades Colíder, Campinápolis,  Araguaia  e Confresa (estado do Mato Grosso), onde foram disponibilizadas 02 vagas  em  cada  escritório,  para ocupação de jovens aprendizes indígenas de contexto urbano. Podemos analisar alguns resultados que o projeto alcançou durante esses anos que vem sendo executado.

 

 

Em 2016, Arilson Granjeiro, da etnia  Pankararé,  de  Guarulhos/SP,  ingressou  no  curso de Engenharia de Produção, pela PUC-SP, e foi efetivado na empresa em 2017.  Em 2017, Wutemberg Tsereduptu, da etnia Xavante, é efetivado na empresa, ingressando na universidade em 2018, no curso de Serviço Social, pela PUC-SP. Em 2018, Thales Silva, da etnia Pankararu, entrou para o curso de Administração, na PUC- SP e, em 2019, foi efetivado na empresa.

Em 2018, Josicléa Maria dos Santos, da etnia Pankararu, começou o curso de Pedagogia, pela Instituição Sequencial, sendo efetivada na empresa em 2019. Em 2019, Larissa Torres, da etnia Pankararu e Thais Maria Vaz, da etnia Kaygang, também foram efetivadas.

Ano a ano, vem aumentando a procura pelas vagas do PJAI. Os jovens indígenas, inseridos no projeto, são beneficiados pela oportunidade do primeiro emprego, desenvolvendo competências para o trabalho. A SPDM/Saúde Indígena contribui para a formação desses futuros profissionais, os quais poderão atuar junto às comunidades indígenas, defendendo os seus  direitos.